Se você tem filhos, não pode negar que é um momento de grande alegria ver eles crescendo e se desenvolvendo, não é?  Hoje, nossas crianças vivenciam uma infância com inúmeros estímulos, o que proporciona diferentes aprendizagens e descobertas. Entretanto é importante compreendermos que cada criança irá se desenvolver em seu próprio tempo, no qual vivenciará várias experiências, podendo ou não apresentar alguma dificuldade em determinado momento.

Quando percebemos que a criança apresenta alguma dificuldade, seja ela motora, cognitiva, sensorial ou afetiva, devemos ter em mente que durante a primeira infância é o momento em que há maior atividade cerebral, ou seja, é o período em que mais ocorrem mudanças e aprendizagens. Hoffman (2013) explica que poderemos avaliar a criança, através de um contexto rico de oportunidades, para observá-la e acompanhá-la em suas descobertas, sempre com um olhar atento e abrangente.

Portanto, podemos pensar em estratégias para estimular essa etapa, como por exemplo, expor a criança a situação que cause dificuldade, e juntamente a ela explorar, para que sinta-se acolhida e confiante. Assim aos poucos ela irá desenvolver as competências necessárias para realizar a tarefa e, quando o objetivo for atingido pode-se reforçar seu feito através de palavras carinhosas e manifestações de alegria, o que possivelmente irá possibilitar maiores chances da criança voltar a realizar a atividade, diminuindo gradativamente sua dificuldade.

Contudo, vale também estimular e incentivar as crianças que apresentam maior desenvoltura em suas práticas, assim as mesmas se sentirão valorizadas e reconhecidas. Esse encorajamento é essencial para que se desenvolvam cada vez mais, adquirindo aos poucos as aprendizagens e valores essenciais que irão acompanha-las até a vida adulta. Além disso, essa pode ser uma boa oportunidade para passarmos um tempo a mais com nossos pequenos, estar inteiramente com eles pode facilitar a identificação dessas circunstâncias.

Por fim, cabe reforçar o importante papel da escola neste contexto, nela pode-se encontrar profissionais preparados para enfrentar as mais diversas situações, os quais poderão auxiliar a criança aprimorar as potencialidades e enfrentar as dificuldades da melhor forma possível, oferecendo também amparo as famílias, para que ambos trabalhem para em pró de um desenvolvimento saudável para os baixinhos.

 

Referência:

 Hoffman, J. (2013). Avaliação na pré-escola um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Universidade Federal de Ouro Preto. Mariana.