Na Escola da infância há um mundo de culturas diversas e de relações vividas, de potência e expressividade. É onde acontece o primeiro contato social, que as crianças experimentam após a família; neste sentido o contato social é compreendido na dimensão do acolhimento e da hospitalidade.

O acolhimento na educação infantil é o cuidado humano visto como ato pedagógico, ser hospitaleiro é estar juntos na convivência pautada na escuta do outro, um modo ético de convivência, “um ato de doação” como nos diz Skliar (2014). O acolhimento e a hospitalidade são sinônimos no momento em que estão entrelaçados na prática cotidiana da escola.

Princípios pautados em relações, como uma forma de ser e estar no mundo, famílias e crianças bem acolhidas em uma experiência sensível de trocas e de saber que sempre haverá alguém que compreende o processo e a transgressão, é o sentido que deve ser garantido na escola da infância.

Como partes integrantes da educação, o acolhimento e a hospitalidade não ocorrem fora da ação pedagógica, crianças observadas, acolhidas e respeitadas ampliam suas capacidades de interação tornando-se crianças mais felizes e seguras oportunizando-se assim o desenvolvimento integral da criança.